Para ver o Dialogando clique na revista

Dizimistas Aniversariantes do mês de Novembro:

Agueda Afonso Sequeira
Claudia Magdalena Petribu
Doralice de Fatima da Silva
Elisabeth Santos Brandão
Hemengarda Bastos Hildebrant
Lucy Pfaltzgraff
Maria Teresa Tompson Mota Cidade
Tania Maria Salton Cesar

Início Arquiconfraria N. Sra. da Consolação
Arquiconfraria N. Sra. da Consolação
A Arquiconfraria PDF Print Email
Mov. Agostinianos - Arquiconfraria N. Sra. da Consolação

Reuniões todo 4º sábado do mês às 16h

 

A “Arquiconfraria* de Nossa Senhora da Consolação e Correia é uma forma de honrar a Nossa Senhora. Foi fundada antes da paróquia, numa pequena capela particular dos padres agostinianos. Esta associação religiosa, aprovada pela Igreja, tem por finalidade incentivar um amor filial para com Nossa Mãe Maria e imitar suas virtudes.

 

A invocação "Nossa Senhora da Consolação" está intimamente ligada à vida de Santo Agostinho. Segundo a tradição, Santa Mônica, angustiada pela morte de seu esposo e pelas lutas de seu filho Agostinho, procurou consolação em Nossa Senhora. Após muitas lágrimas, teve a alegria de ver seu filho no caminho da verdade e tomou como protetora a Consoladora dos Aflitos. Os padres agostinianos, herdeiros do espírito de Santo Agostinho, adotaram a devoção a Nossa Senhora da Consolação.

O significado do título "e Correia" é também muito importante: "cingir a correia" significa tomar a decisão de trabalhar pelo Reino de Deus. A Correia nos lembra que temos que estar prontos para tudo, "cingir as vestes", "arregaçar as mangas" e agir com muita disposição, com coerência, sem ficar reclamando e reclamando, de forma estéril, inútil e sem graça...

Existem várias tradições sobre a origem da devoção à Sagrada Correia. Uma delas está relacionada com o momento em que Nossa Senhora, após concluir a sua vida na terra, foi levada para junto do seu Filho. O apóstolo Tomé, inconsolável, foi até o sepulcro de Maria, onde não mais se encontrava o corpo de Nossa Senhora, mas apenas suas vestes e a correia por Ela usada. Tomé passou a cingir essa correia como lembrança da Santa Virgem e em sua devoção.

Uma outra tradição sobre a devoção à Sagrada Correia nos ensina que Nossa Senhora apareceu a Santa Mônica, vestida com a correia na cintura e lhe entregou a seguinte mensagem: "Recebe esta Correia Sagrada que cingiu este corpo que deu à luz o Salvador". Santa Mônica passou a usar essa Santa Correia e ensinou essa lição a seu filho Agostinho.

Os padres agostinianos receberam esse importante legado e essa gloriosa missão. Nós, comunidade Santo Agostinho, queremos "cingir a Sagrada Correia", "arregaçar as mangas" e cultivar em nossos corações a paixão incansável de Agostinho na busca da verdade, a amizade sincera e a dedicação total ao serviço da evangelização. Queremos ser uma comunidade de irmãos: a comunidade Santo Agostinho.

A invocação Nossa Senhora da Consolação foi aprovada pelo Papa Gregório XIII, em 1577. E sua festa é celebrada no primeiro domingo após o dia de Santo Agostinho (28 e agosto). Dessa forma, a festa é móvel.

 

Oração

Por meio da Virgem Maria, te dignaste enviar a teu povo a verdadeira Consolação, Cristo Jesus. Oração: Ó Deus, que por intermédio da Virgem Maria, vos dignastes enviar ao vosso povo a verdadeira consolação, Jesus Cristo; concedei-nos, pela intercessão da mesma Virgem Maria, sejamos consolados em nossos trabalhos e aprendamos a partilhar com nossos irmãos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém.

 


Santo Agostinho

Somos pedras vivas trabalhadas pela fé. Assentadas pela esperança e ligadas pela caridade. Nosso fundamento é Cristo. (Serm. 337,1)


27/11 - 5ª FEIRA

BRECHÓ EM PROL DO NATAL DAS CRIANÇAS DE MARAJÓ

A partir das 9h no salão paroquial

AOS SEUS PÉS SENHOR

Adoração ao Santíssimo Sacramento

19h30min

 

28/11 - 6ª FEIRA

TERÇO DA MISERICORDIA

15h

BRECHÓ EM PROL DO NATAL DAS CRIANÇAS DE MARAJÓ

A partir das 9h no salão paroquial

 

Continuamos com a nossa Campanha das Cestas de Natal. O custo de cada cesta é de R$ 50,00, que poderá ser entregue a qualquer sacerdote da nossa comunidade, secretaria ou na obra social, no 6ºandar, durante a semana.